APRESENTAÇÃO

 

 

Os Carneiro da Fontoura

Na gesta dos padrões ideológicos, políticos e sociais do
Brasil Meridional

 

1.2.1 - FonteArvore

O propósito básico na exposição deste estudo, a genealogia dos CARNEIRO DA FONTOURA, muito além de explicar a cada um de seus descendentes as interligações com o tronco ancestral comum, é manter viva mediante correlações com os fatos históricos, a magnitude daqueles que, juntamente com outros troncos seculares, contribuíram para caracterizar a peculiaridade da gente sul-rio-grandense entre os brasileiros.

Suas páginas encerram uma ampla visão de todo este tronco genealógico, por grupos. Tais grupos (de 1 a 10) representam a progênie de cada um dos filhos de JCF – João Carneiro da Fontoura – e de Izabel da Silva que se estabeleceram em Rio Grande, Viamão, Rio Pardo e alhures, marcando a conquista do território de bandeira lusa ao Sul, além de Laguna, limite até então firmado pelo Tratado de Tordesilhas. A miscigenação com outras famílias, Barreto Pereira Pinto, Charão, Simões Pires, Azambuja, Corrêa Câmara, Freire, Silveira, Simões Lopes, Palmeiro, formará os troncos seculares que depois, já no Século XIX, recebe importante revitalização das etnias italiana, alemã e polaca, citando as principais.

Fácil será identificar o Coordenador desta pesquisa genealógica, já não é o caso da autoria, eis que diversas foram as publicações anteriores que serviram de fonte para a compilação dos dados. Inúmeros foram os colaboradores que vasculharam arquivos, assentamento e registros oficiais. Mais numerosos foram, ainda, aqueles que, com depoimentos pessoais  – os memorialistas – contribuíram para a análise dos dados cadastrais. Como certo se tem, tratando-se de uma genealogia em que sucessivas atualizações advirão, a autoria múltipla permanecerá, porém com coordenações passageiras.

A versão a partir de 2020 compreende um menu com cinco segmentos (ou abas): Introdução, Genealogia, Reminiscências, Artigos e Memória. Tais segmentos informam:

INTRODUÇÃO – Aqui reservado para a Homepage – Index – além de informações sobre o Núcleo de Estudos, tais como, Apresentação, Programa, Colaboradores, Regimento Interno, Política de Privacidade e Acervo.

GENEALOGIA – Secção que engloba toda a descrição genealógica dos CdaF, nela constando também o Índice Onomástico (referenciando os componentes dos grupos e suas codificações). Cada Grupo (1 a 10) representa uma subsecção correspondendo cada um dos filhos dos genearcas João Carneiro da Fontoura e Izabel da Silva.

REMINISCÊNCIA – Esta secção resulta de um dos propósitos básicos deste estudo, qual seja de situar os componentes dentro dos fatos que marcaram a História no período da conquista do Brasil Meridional pelos lusos. A subsecção intitulada Genealogia dos CdaF é uma alusão às origens dos Carneiro da Fontoura em Portugal e no Brasil. Já Contexto Histórico é uma inferência do que poderia ter marcado a vida de João Carneiro da Fontoura, desde sua chegada a Minas Gerais e transferência para o Rio Grande do Sul. A outra subsecção, Biografias, traz notas biográficas de componentes que se notabilizaram em alguns feitos históricos. Histogramas, bem, aqui, se faz um comparativo de fatos históricos ocorridos no Brasil, Rio Grande do Sul e Mundo, divididos pelos períodos didaticamente concebidos pela História do Brasil. Finalmente, em Georreferências, mediante mapas, pretende-se situar geograficamente fatos históricos citados nos Histogramas.

ARTIGOS – Trata esta secção de matérias relevantes, publicadas em forma de posts, as quais foram motivo de análise pelo Núcleo de Estudos; cabe ainda especificar uma subseção destinada aos internautas visitantes ou pesquisadores que desejarem expor suas contribuições (autoria pessoal), refere-se à seção Painel do Visitante.

MEMÓRIA – Aqui reservado para comentar fatos, feitos e notícias, resultantes das pesquisas. É a mais interminável secção. Sempre haverá algo a inserir. Está dividida em quatro subsecções: CONCEITOS, ÁLBUNS, MISCELÂNEA e OS SETENTA. Em Conceitos o internauta receberá informações de natureza conceitual, visando unificar termos usados durante a explanação das matérias. Álbuns, decorre de imagens, principalmente fotos de componentes da árvore, coletadas durante as pesquisas ou oferecidas pelos colaboradores, como também mostra lugares ou eventos dignos de registros. Miscelânea é a subsecção que receberá matérias, que, ou por sua curiosidade, ou por esclarecimentos afins, ou por seu valor relativo a uma época merecem ser revividas; estas normalmente “guardados de memória” ou baús de componentes extintos. Finalmente Os Setenta, nesta subsecção vão textos, revelando a cultura popular por suas ideias, crenças, concepções da vida cotidiana, experimentadas por um grupo (virtual) de anciãos que se encontram sistematicamente na praça de sua cidade, para recordar a vida passada pelos 70 anos de cidade.

Muito relevante, ainda, são estas duas questões: a documentação do estudo e a participação dos internautas:

Sobre a documentação catalogada na subsecção Acervo, ela é extrema valia, se ficar entendido que dela constam informes sobre a coleta e sistematização efetuada pela coordenação. Tal sorte, determina a certeza de manter-se viva a memória deste ensaio. Fácil é de se imaginar o teor das dúvidas surgidas durante a análise das informações aqui compiladas: um homônimo, um assentamento em registro (mesmo oficial) com dados impróprios, uma informação supostamente fidedigna, os quais podem conduzir a equívocos, especialmente quando submetidos a análise por neófitos. Justo é, pois, documentarem-se estas questões para futura elucidação.

Sobre a participação da audiência em geral, o que é desejável? Compreensível é o internauta esboçar sua análise e pesquisa de forma independente da sua consanguinidade mais próxima. Além de aqui, obter informações seguras, em contrapartida desejamos compilar suas descobertas pessoais, seus comentários, seus questionamentos; tudo que por sua colaboração venha se agregar a este estudo será bem-vindo. Penhoradamente o Núcleo de Estudos agradecerá e registrará toda participação, venha ela em forma de informação (retificativa, aditiva) ou de material para enriquecer o acervo. A gratidão ecoará a cada nova geração.

Nestes termos, o internauta, seja para esclarecimentos, seja para contribuições, terá um canal aberto mediante o e-mail: nffontoura@hotmail.com.

1.2.2 - NFF-Avatar Seja bem-vindo!

Em junho de 2020.
Sanfeliz – Coordenador